quinta-feira, 29 de abril de 2010

Frutas

A ingestão de fruta é benéfica para a saúde e ajuda a manter a linha. No entanto, convém saber que a fruta não é toda igual.

Existem variedades com maior e outras com menor teor de calorias. Saiba quem é quem e faça da fruta a sua nova aliada da sua alimentação diária.


As frutas menos calóricas

Meloa: 20 kcal
Melancia: 24 kcal
Melão: 27 kcal
Limão: 26 kcal
Morango: 29 kcal
Toranja: 31 kcal
Framboesa: 34 kcal
Carambola: 35 kcal
Ameixa branca ou encarnada: 36 kcal
Pêssego: 38 kcal
Marmelo: 39 kcal
Papaia: 39 kcal


As frutas mais calóricas

Dióspiro: 58 kcal
Amora: 60 kcal
Cereja: 60 kcal
Figo: 70 kcal
Uva branca: 72 kcal
Anona: 75 kcal
Uva tinta: 77 kcal
Banana: 95 kcal


As pouco calóricas

Tangerina: 40 kcal
Pêra: 41 kcal
Laranja: 42 kcal
Nectarina: 43 kcal
Ananás: 44 kcal
Nêspera: 45 kcal
Goiaba: 54 kcal
Maçã (com casca): 57 kcal
Dióspiro: 58 kcal


Fonte: Tabela da Composição de Alimentos do Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Exercício suave- grandes resultados

Quer derreter a gordura das coxas, do rabo e destruir a celulite? As actividades aeróbicas moderadas e prolongadas, combinadas com exercícios que fortalecem os músculos, são as mais recomendadas. Está à espera de quê? Mexa-se!
Caminhe, corra, nade ou pedale para queimar calorias.
A actividade escolhida deve ser feita quatro vezes por semana, em dias alternados.
A intensidade ideal é aquela em que há o equilíbrio entre respiração e movimento. Ou seja, você não fica ofegante, consegue falar e fazer o exercício ao mesmo tempo.
É preciso que o exercício seja prolongado: acima de 40 minutos, para garantir a queima de gordura.

terça-feira, 27 de abril de 2010

Alimentos anti-celulite

Os investigadores estão apostando na força dos alimentos para tapar os furinhos e suavizar as saliências do corpo. Alguns dermatologistas acreditam que os alimentos correctos fortalecem as células formadoras da pele, impedindo que a gordura forme o tenebroso aspecto de casca de laranja.

Menu certo
Alimentos funcionais que estimulam a produção de colágenio, melhoraram a circulação linfática e desintoxicam o organismo. A seguir, as porções diárias recomendadas.


Cereais integrais
6ncolheres (sopa) de arroz integral
Pectina
A parte branca de frutas cítricas, como 1 laranja ou 1 maçã
Clorofila
1 copo (200 ml) de suco de clorofila
Frutas
4 ou 5 ou 1 copo (300 ml) de sumo, como o de toranja
Leguminosas
2 colheres de sopa de feijão, soja, lentilha ou grã-de-bico
Azeite extra-virgem
1 colher (sopa)
Misso e tofu
1 colher (chá) de misso usado como tempero e 1 pedaço (médio) de tofu





segunda-feira, 26 de abril de 2010

Mandamento

Comerás brócolos

Mesmo aqueles que não gostam de brócolos devem tentar encetar uma melhor relação com este legume. Porquê? Mais do que qualquer outro, os brócolos e os seus parentes mais chegados (couve-flor, rábano, couves-de-bruxelas, repolho) podem proteger do cancro.
Os brócolos contêm uma substância química chamada sulfurano que pode ajudar a travar o avanço desta doença maligna. O sulfurano é responsável pelo cheiro e sabor ligeiramente acre dos brócolos.
Para além de proporcionarem uma acção anticancerosa, os brócolos são uma fonte excelente de fibras e vitamina C.


(fotografia de Carl Warner)

domingo, 25 de abril de 2010

Antioxidantes: seguro para a velhice

Os antioxidantes são substâncias capazes de neutralizar os radicais livres e proteger o organismo dos processos de oxidação que estão sempre a acontecer no nosso corpo. Podem ser encontrados em muitos alimentos e contribuir assim para uma maior qualidade de vida e a prevenção de várias doenças.
Deixo-lhe alguns exemplos.

Abóbora: Vitamina C, caretenóides, fibra
É uma boa ajudante no combate ao envelhecimento. Os caretenóides que contém têm propriedades anticancerígenas e protegem o coração, os olhos e a pele.

Alho: Vitamina B6, vitamina C, cálcio, enxofre, s-alisteína
Quando é esmagado, o alho liberta um composto de enxofre- a alicina- que ajuda à regulação do colesterol, dos níveis de triglicéridos e à formação de novas células. Também é um poderoso auxiliar no reforço do sistema imunitário.

Beterraba: Ferro, magnésio, potássio, sílica, betacianina, fibra
A betacianina, que lhe dá a cor vermelha, é um poderoso antioxidante. Aumenta as defesas do organismo, ajuda a baixar os níveis de colesterol e a sílica que contém mantém saudáveis a pele, o cabelo, as unhas, os ligamentos, os tendões e os ossos.

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Precisar VS Dever


Uma questão de prioridade!!
Qual a sua?

terça-feira, 20 de abril de 2010

Despeça-se dos pneus


A gordura que está à volta das suas vísceras é mais prejudicial para a sua saúde que os inestéticos pneus. Mas assim que se despedir dela, é mais fácil mantê-la à distância. Um novo estudo da revista Obesity indica que as pessoas que perderam peso e fizeram exercício durante pelo menos 80 minutos semanais não voltaram a recuperar a gordura visceral após um ano. Os que não fizeram exercício (mas que mantiveram o peso) apresentam mais 25% de gordura visceral.
O exercício altera o nível hormonal de forma a que a gordura visceral seja eliminada, afirma o autor do estudo.

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Perigo: dietas milagrosas


Terminado o Inverno, chega o calor e com ele a época em que somos inundados com dietas rápidas que prometem resultados relâmpago e fáceis de alcançar. São prometidos verdadeiros milagres!
Dietas loucas, chás, cremes, produtos naturais... Atenção: constituem vários perigos.
Os produtos, mesmo os ditos naturais, na sua quase totalidade não apresentam uma composição química adequada, não são sujeitos a ensaios clínicos, e não há padronização da sua composição (a composição não bate certo com o rótulo).
Ao seguir uma dieta maluca não se aprende a comer. Como não ensinam a ter hábitos alimentares e estilos de vida saudáveis, não permitem manter o peso daí para a frente.
Quando se perde peso muito rapidamente, não se perde massa gorda mas músculo.
Convém saber, que emagrecer não é perder peso, mas sim perder massa gorda.
Quanto mais rápido se perde peso, mais rápido e de uma forma brusca se aumenta depois a massa gorda. Quem não conhece alguém que perdeu 15kg e que depois aumentou 25Kg?
As promessas que estes produtos/ dietas fazem não passam de publicidade enganosa. Quando nos sentimos enganados, aumenta a nossa ansiedade e frustração.
Temos que ter consciência que não existem milagres, e que não se pode desejar emagrecer a qualquer preço. O preço não pode ser a nossa saúde.
Mentalize-se que aumenta de peso quando a energia que consome é superior à energia gasta. É preciso aprender a comer e a aumentar a actividade física. Alterar hábitos nem sempre é fácil, e por vezes demora um bocadinho... mas depois os resultados são duradoiros.
Pequenas mudanças no estilo de vida têm grandes efeitos.

Consulte um nutricionista, vai ser a ajuda individualizada e específica de que precisa.


quinta-feira, 15 de abril de 2010

Obesidade e depressão

Os obesos têm maior probabilidade de ficarem deprimidos, enquanto as pessoas deprimidas correm maior risco de ficar obesas. Esta reciprocidade foi descoberta por investigadores do Leiden University Medical Center, na Holanda, depois de analisarem vários estudos sobre o tema. Uma outra investigação levada a cabo por uma equipa do National Institute of Mental Health (EUA), corrobora aquela conclusão e afirma mesmo que 1 em cada 4 casos de obesidade estão associados a desordens de ansiedade. Ambas as investigações atribuem culpa à baixa auto-estima e descontentamento com o corpo.

quarta-feira, 14 de abril de 2010

O poder da melancia

Cientistas afirmam que uma fatia de melancia é uma maneira suculenta de se manter o “fogo” de um homem, isto é, tem efeito similar ao Viagra, porém não necessariamente durante a noite inteira.

Melancia

A melancia contém um ingrediente chamado citrolina que pode provocar a produção de um composto que ajuda a relaxar os vasos sanguíneos do corpo, similar ao que acontece quando um homem toma Viagra. Os pesquisadores fazem parte do grupo de um dos maiores produtores da variedade de melancia sem sementes.
A citrolina é encontrada na carne e na casca da fruta, que quando consumida em grandes quantidades, as enzimas do nosso corpo a transforma em outro ácido, a arginina. Um ácido que beneficia o coração e os sistemas circulatório e de defesa.
A arginina impulsiona o óxido nítrico, que relaxa os vasos sanguíneos, o mesmo efeito básico que o Viagra tem para tratar a deficiência orgânica que impede a erecção. “A melancia pode não ser tão específica quanto o Viagra, mas é uma grande maneira de relaxar os vasos sanguíneos sem nenhum dos efeitos colaterais da droga”, afirmam os cientistas.
O óxido nítrico pode igualmente ajudar nos tratamentos de angina, hipertensão e outros problemas cardiovasculares, de acordo com estudos feitos pelo Ministério da Agricultura dos Estados Unidos.
Porém é preciso comer aproximadamente seis fatias de melancia para se conseguir bastante citrolina e impulsionar o nível da arginina do corpo.
O relacionamento entre a citrolina e a arginina pôde igualmente provar que são úteis para pacientes obesos ou diabéticos do tipo 2. Esses efeitos benéficos, estão começando a ser revelados na pesquisa.
A citrolina está em outras frutas e legumes como o pepino e o melão, a níveis muito baixos, e na proteína do leite. As concentrações mais elevadas de citrolina são encontradas nos rebentos da noz “mas são amargos e a maioria das pessoas não querem comê-las, ” disseram os pesquisadores.

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Alimento a descobrir: Folhas de parreira

As folhas de parreira são muito usadas na cozinha grega e do Oriente. Por cá este refrescante ingrediente apenas é vendido em frascos.

As folhas de parreira são uma boa fonte de ferro, vitamina A e C e anticianinas, iguais aos flavonóides do vinho que nos protegem de algumas doenças.

Como comer?
Nas merendas ou aperitivos, pode usá-las para fazer rolinhos de arroz, ervas e especiarias. Encontrará folhas de parreira recheadas em lojas gourmet ou em alguns supermercados.

sábado, 10 de abril de 2010

Lento = Magro

Atenção a todos os glutões.
Investigadores gregos informam que comer lentamente pode aumentar os níveis de duas hormonas saciantes.
Foram comparadas amostras de sangue de pessoas que comeram em 30 minutos e de outros que demoraram apenas cinco minutos. Os investigadores acreditam que mastigar lentamente pode fazer o seu intestino delgado produzir mais hormonas saciantes.

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Mousse light de cenoura e queijo

14 porções de 63 calorias cada
Ingredientes
3 cenouras
1 cebola pequena
água e sal para cozinhar
1 folha gelatina sem sabor (incolor)
100 ml água
1 copo iogurte natural desnatado
250g queijo fresco
1 chávena (chá) leite desnatado
5 colheres (sopa) natas light

1 colher (sopa) molho inglês
1 colher (sopa) mostarda
Preparação
Cozinhe as cenouras com a cebola em água e sal, escorra e reserve.
Hidrate a gelatina com a água e dissolva em banho-maria.
Bata todos os ingredientes na batedeira e despeje em forma redonda, untada com água.
Leve ao frigorífico para endurecer (aproximadamente 2 horas).


Ideal para acompanhar bifinhos de peru ou peixe estufado.

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Osteoporose Masculina


A osteoporose é uma doença associada maioritariamente ao sexo feminino, no entanto, também afecta um número considerável de homens. Estima-se que entre 3 e 6% dos homens com mais de 50 anos têm osteoporose e que a maioria das fracturas associadas a esta patologia não são tratadas. O primeiro passo para a prevenção desta doença é alcançar um bom pico de massa óssea antes dos 30 anos, com uma boa alimentação e exercício físico regular, para tornar os ossos mais fortes.

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Valores europeus de referência para ingestão de nutrientes são definidos pela European Food Safety Autorithy (EFSA)




O painel da EFSA sobre produtos dietéticos, nutrição e alergias, estabeleceu valores de referência para a ingestão de hidratos de carbono, fibras alimentares, gordura e água.
Este painel foi sugerido pela Comissão Europeia, que solicitou a actualização do conselho europeu nesta área, tendo em conta os novos dados científicos e as recentes recomendações a nível nacional e internacional.

As principais conclusões deste painel foram que:

· a ingestão de hidratos de carbono totais deve variar entre 45 a 60% do consumo total de energia diária, tanto para adultos e crianças;
· o consumo diário de 25 g de fibra alimentar é adequado, em adultos, para a função intestinal e apresenta outros benefícios como a redução do risco de doença cardíaca, diabetes tipo 2 e a manutenção do peso;

  • a ingestão de gorduras deve variar entre 20 a 35% do consumo total de energia, com valores diferentes para lactentes e crianças jovens, tendo em conta as suas necessidades específicas de desenvolvimento;

    · a ingestão diária de água deve ser de 2,0 litros para as mulheres e 2,5 litros para homens;
    · a ingestão diária de 250 mg de ácidos gordos ómega-3 nos adultos pode reduzir o risco de doença coronária;
    · existem evidências de que o consumo frequente de alimentos ricos em açúcares simples, aumenta o risco de cárie dentária e que o consumo elevado de açúcares, na forma de bebidas açucaradas está relacionado com o aumento de peso. No entanto, não foram encontradas evidências suficientes, para definir um limite máximo de ingestão de açúcares, tendo em conta que os seus possíveis efeitos na saúde estão relacionados principalmente com os padrões de consumo alimentar e não com o consumo total dos açúcares em si;
    · não existem evidências conclusivas da influência do índice glicémico e carga glicémica na mautenção do peso e na prevenção de doenças relacionadas com a obesidade;
    · existem importantes evidências que referem que o consumo elevado de gorduras saturadas e gorduras trans condiciona o aumento dos níveis de colesterol no sangue e contribui para o desenvolvimento de doenças coronárias. Limitar a ingestão de gorduras saturadas e trans, com substituição por gorduras mono e poli-insaturadas é uma medida que deve ser implementada em políticas nutricionais;

    Este parecer, revela-se importante por fornecer uma base de evidências para sustentação de políticas nutricionais, fixação de objectivos relacionados com a saúde pública, para apoio de programas de educação alimentar e informação ao próprio consumidor. De referir que está planeada para breve a elaboração de outros pareceres, relacionados com os valores diários de referência para vitaminas e minerais.

segunda-feira, 5 de abril de 2010

Alli

Um estudo da associação de defesa do consumidor Deco alerta para a falta de controlo na venda do primeiro medicamento para emagrecer não sujeito a receita médica em Portugal, o que pode conduzir a situações de abuso.

Duas colaboradoras da Deco sem excesso de peso visitaram anonimamente 48 locais de venda de medicamentos e apenas em cinco o medicamento não lhes foi vendido.

«O estudo demonstra a falta de controlo na venda do Alli, o que conduz a situações de abuso. O atendimento dos profissionais deixa muito a desejar. Nada perguntam ao consumidor e, em regra, limitam-se a vender o medicamento.
Não se revelaram prestadores de saúde», comenta a análise da Deco, divulgada na revista Teste Saúde, esta sexta-feira.

«O Alli é recomendado apenas a quem tem um índice de massa corporal (IMC - relação entre peso e altura) igual ou superior a 28», lembra a Deco.

No entanto, em nenhum dos 43 locais visitados foi perguntado o peso das utentes e em apenas 25 a informação sobre a toma correcta do Alli foi abordada.

«A venda de um medicamento que reduz a quantidade de gordura absorvida pelo organismo dá azo a abusos. Também o uso incorrecto do mesmo pode originar deficiências nutricionais», sublinha a Deco.

Depois dos resultados observados, a DECO defende que a venda do Alli sem receita médica é «um mau princípio» e apela à Agência Europeia do Medicamento para rever os critérios que estão na base da autorização.

A mesma opinião têm as congéneres europeias da Deco, que obtiveram resultados semelhantes numa análise realizada noutros país como Espanha, Itália e Bélgica.

Os problemas de obesidade devem ser resolvidos com acompanhamento médico. e de nutricionista. No entanto, o medicamento foi aprovado pelo Infarmed e penso ser um exagero a DECO referir «risco de deficiências nutricionais» aquando da toma do fármaco.



domingo, 4 de abril de 2010

Ocorreu um erro neste dispositivo