domingo, 30 de maio de 2010

Porque não conseguimos controlar-nos?


Os números da obesidade no mundo são já alarmantes e, por mais campanhas que se faça, parece que nada resulta.
O mesmo pensou David Kessler, médico norte-americano e antigo responsável máximo pela FDA, a agência dos EUA que regula os medicamentos e alimentos) que, depois de anos a lutar contra a balança, tentou perceber o que está por detrás do peso excessivo. O resultado é o livro "The end of overeating: taking control of our insatiable appetite", em que explica partes desse interminável processo.
No livro, destaca os três principais vilões para um peso saudável: sal, açúcar e gordura. E o elevado consumo destes três elementos faz que as pessoas comam mais, porque causam compulsão alimentar, estimulam os neurónios e ajudam a libertar dopamina, um neurotransmissor que faz aumentar a vontade de comer.
Este trio de engorda também é usado como ingrediente de base para uma série de alimentos. Por exemplo, a fast food é rica em açúcar, sal e gordura e muitas vezes é de tal forma processada que quase dispensa a mastigação.
Será que o cérebro não enjoa aqueles alimentos? Segundo o autor, a combinação de sal, açúcar e gordura não produz a resposta do organismo para se adaptar. Se o estímulo for suficiente, o cérebro não se cansa. É o caso de alguns "hiperpalatáveis", como o chocolate.
Alimentos cheios de açúcar, gordura e sal podem modificar algumas estruturas cerebrais. Elas estimulam o sistema de recompensa. Quanto mais comemos, menos conseguimos controlar a vontade.

quarta-feira, 26 de maio de 2010

O melhor remédio contra a tosse


Descubra qual é e... surpreenda-se! E não vale a pena começar já a tossir...

De acordo com um trabalho efectuado por especialistas londrinos, um composto do cacau, a teobromina, pode ser mais eficaz para prevenir a tosse do que os antitússicos convencionais, como a codeína. E evita os efeitos secundários dos tratamentos farmacológicos. Deve ser consumido em pequenas quantidades, para evitar o aumento de peso.

Os autores deste estudo descobriram que esta substância, presente também no chá e na erva-mate, pode ser útil para tratar a tosse, tanto crónica como aguda, já que inibe o nervo indutor da tosse, chamado vago.

Por seu lado, a Associação Espanhola de Fabricantes de Chocolate e Derivados de Cacau, frisa que a ingestão de 30 g de chocolate é recomendável como parte integrante de uma alimentação equilibrada, com múltiplos benefícios para a saúde: previne doenças cardiovasculares, graças aos seus antioxidantes, reduz a hipertensão, favorece a irrigação sanguínea do cérebro e estimula a produção de serotonina (neurotransmissor com especial efeito no humor e na ansiedade).

terça-feira, 25 de maio de 2010

Abaixo os triglicéridos


Consulte a lista de alimentos a evitar, se tiver triglicéridos elevados.

EVITAR
(ou consumir apenas esporadicamente)
  • Produtos açucarados (gelados, bolos, bolachas, pastelaria, compotas, chocolates, mel e fruta em calda).
  • Refrigerantes e sumos concentrados de fruta, sumos naturais, frutos cristalizados e secos (uvas, figos e ameixas).
  • Bebidas alcoólicas.
  • Alimentos com índice glicémico (IG) elevado, especialmente se ingeridos fora de uma refeição rica em fibras ou isoladamente (corn flakes, pão de forma industrial, mel, puré de batata, tostas, pão comum, bolachas de água e sal, torrada ou Maria, batata cozida ou assada, pão de leite, entre outros).
  • Alimentos ricos em gordura saturada (leite gordo, natas, manteiga, queijos gordos e gordura da carne, sobretudo da vermelha, charcutaria, salgados e fast food frito).

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Nem tudo o que é natural é bom

Com a chegada do calor chega também a vontade de emagrecer milagrosamente. Aumentando o consumo de produtos ditos naturais que prometem tal feito.

A maioria das pessoas acredita que os produtos rotulados como naturais apenas trazem benefícios, não tendo quaisquer efeitos adversos para o organismo. Embora a maioria deles esteja ainda pouco estudada, há já muitas certezas quanto ao inconveniente do uso de alguns, sobretudo quando tomados em simultâneo com outros medicamentos convencionais. Por isso, embora ache que o chazinho ou o medicamento que comprou na farmácia ou na ervanária é absolutamente inofensivo, deve informar o seu médico sempre que vai iniciar algum tratamento com um produto alegadamente "natural" ou sempre que o médico lhe receita um medicamento e já estava a tomar algum desses produtos.

Por exemplos, apesar de ser obrigatório vender medicamentos à base de sibutramina sob receita médica e de ser obrigatória uma vigilância médica durante o tratamento, em muitas farmácias estes venderam-se de forma muito fácil e acessível, alegadamente para emagrecer à custa de uma supressão do apetite. Esta substância foi retirada do mercado, depois de se concluir que poderia ter efeitos secundários graves sobretudo em doentes cardíacos! Até aí milhares de pessoas foram sendo "cobaias" da mesma... O uso de sibutramina pode ocasionar efeitos colaterais graves, que incluem problemas de visão e aumento da frequência cardíaca e da pressão arterial. Além disso, por interferir com os níveis de serotonina, não deve ser tomada em simultâneo com antidepressivos.


Apesar de se poderem comprar sem receita médica, não confie em todos os produtos ditos naturais, sobretudo se tem alguma patologia ou se está a fazer algum tipo de medicação prescrita pelo médico. Porque nem tudo o que é natural é bom...

Lembre-se: emagrecer é perder massa gorda. Para isso é necessário fazer uma alteração de hábitos alimentares e aumentar a prática de exercício físico.

domingo, 23 de maio de 2010

Contra a celulite

Arroz, espargos e espinafres: o trio maravilha na luta contra a indesejada casca de laranja. São alimentos que, graças à sua alta concentração de potássio, favorecem e eliminação de líquidos acumulados. Reforce a dose diária de potássio através da ingestão de espargos (125g), melão (125g), pepino (175g) e pêra (200g). Junto tudo no liquidificador e faça um sumo. Esta mistura muito saborosa é eficaz contra a celulite.
Mais uma vez lembro que é importante evitar o consumo exagerado de gordura, sal e de açúcar. Levam ao aumento das células gordas e potenciam a retenção de água.

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Organize o frigorífico




Um pequeno guia para fazer uma limpeza à sua cozinha e reduzir ao mínimo o risco de acumulação dos níveis de bactérias perigosas.

Molho de tomate- aberto, 1 mês
Maionese- aberta, 1 mês
Carne- 3 a 5 dias
Ovos- crus, 3 semanas
Salmão fresco- 1 a 2 dias
Leite- 1 semana desde a data limite da abertura
Amêndoas: embalagem aberta, 4 a 6 meses

Congelador
Legumes congelados e embalados- 10 a 12 meses
Carne- 6 a 12 meses
Marisco- 9 meses
Salmão- 2 a 3 meses
Carne picada e temperada- 4 a 6 meses
Fruta- 10 meses

terça-feira, 18 de maio de 2010

O cérebro também come


Proteínas, vitaminas e sais minerais são elementos presentes na alimentação fundamentais para o bom funcionamento do cérebro. Porém, há outro nutriente essencial: os hidratos de carbono, o verdadeiro combustível cerebral. Por isso mesmo, as dietas loucas que eliminam totalmente os hidratos de carbono têm efeitos muitos desagradáveis, quer a nível da energia quer do humor, deixando as pessoas infelizes e rabugentas. Os hidratos de carbono são degradados em glicose, que é utilizada pelo organismo para produzir energia para responder ao esforço físico e intelectual, ou apenas para manter o normal funcionamento dos órgãos e sistemas.
Tanto o excesso como a carência de glicose têm efeitos muito nocivos no nosso organismo, pelo que ter uma boa alimentação, que mantenha estáveis os níveis glicémicos durante todo o dia, é um factor importante para a saúde, pois tanto o cérebro como os glóbulos vermelhos dependem deste combustível para terem um correcto funcionamento.
Os hidratos de carbono ajudam a estimular a produção de serotonina, que controla as emoções. Quando se produz serotonina e esta fica activa no cérebro, produz-se uma sensação de bem-estar.
Uma boa alimentação estimula a inteligência, aguça a memória, melhora o humor, fortalece a concentração, mantém o cérebro jovem e a mente ágil, e é até importante para a estabilidade emocional.

domingo, 16 de maio de 2010

Ressaca: descoberta a molécula responsável

Dores de cabeça, náuseas, muita sede e sensibilidade ao barulho e à luz costumam ser alguns dos sintomas depois de uma noite bem bebida.
Um grupo de neurocientistas da Universidade de Southampton acaba de descobrir a molécula responsável pela ressaca.
Num artigo, publicado na PLoS One, os investigadores explicam que se trata de um neuropéptido, um ‘marcador’ do cérebro que ao activar-se é o responsável pela mistura de sensações e sintomas desagradáveis sofridos no dia seguinte à ingestão de uma quantidade significativa de álcool.


Os investigadores britânicos usaram o cérebro de um verme para o comparar ao nosso. Tudo porque a estrutura mais simples do Caenorhabditis elegans tem a particularidade de reagir de uma forma idêntica à do ser humano às intoxicações ou dependências do álcool.
A equipa, liderada por Lindy Holden-Dye, descobriu que, tal como o verme, o cérebro do ser humano quando exposto ao álcool durante um período prolongado de tempo, habitua-se a um certo grau de intoxicação.
Quando o consumo de álcool é interrompido, começa a ansiedade a debilidade, a agitação e até espasmos, um rodopio de sintomas que são característicos das ressacas na sua forma mais grave.

Holden-Dye explica que “a investigação mostra que os vermes sentem os efeitos do corte de álcool e isto permite-nos definir a forma em que este afecta os circuitos nervosos responsáveis pela alteração de comportamento”. Durante a fase de interrupção, os cientistas davam aos vermes pequenas quantidades de álcool e os seus sintomas suavizam de imediato.

Tratamentos e inibidores

Os autores do estudo foram capazes, pela primeira vez, de identificar exactamente de onde e como o consumo de bebidas alcoólicas afecta o sistema nervoso, o que “abre novas portas para o tratamento do alcoolismo”, refere Holden-Dye que acrescenta: “O nosso estudo proporciona um sistema experimental efectivo para atacar este problema”.

No entanto, a investigação abre também a possibilidade para o fabrico de novas armas químicas que minimizem ou eliminem por completo os efeitos posteriores ao consumo abundante de bebidas alcoólicas. Contudo, o mesmo estudo garante que, esta última hipótese é algo que pode inclusive aumentar a dependência de 13 por cento da população adulta que sofre deste problema.

sábado, 15 de maio de 2010

Receita light anti-fadiga


Gaspacho de Morangos
(100 kcal/porção)

4 pessoas
500g de morangos maduros
1 Cebola roxa picada
40ml de vinagre de framboesa
40ml de azeite
Sal e pimenta q.b.

Triture bem os morangos, junte a cebola roxa picada, vinagre e azeite.
Tempere com sal e pimenta.
Se ficar muito ácido, corrija com uma pitada de adoçante em pó.
Sirva frio

segunda-feira, 10 de maio de 2010

Fome psíquica

Todas as pessoas que precisam de emagrecer gostariam de fazê-lo: o quanto antes. Quem tem problemas com o peso necessita de orientação nutricional para o resto da vida. A tentativa de abreviar o processo, através de uma redução drástica da ingestão alimentar, por norma, leva a consequências físicas e psíquicas consideráveis.
Apesar dos psicólogos defenderem que não há um perfil psicológico definido para a obesidade, a população de obesos apresenta maior incidência de transtornos psicológicos do que a de não obesos. Ansiedade, pânico, fobia social, transtornos de personalidade, vulnerabilidade ao stresse, impulsividade, compulsão alimentar e, especialmente depressão.
Planos alimentares excessivamente restritivos podem desencadear quadros ansiosos pré-existentes ou gera-los, bem como episódios depressivos. O stresse é muitas vezes reduzido via comida. Se a dieta for muito restritiva, proibitiva, estará criado um círculo vicioso: a dieta aumenta o stresse que acaba com a dieta. É difícil generalizar se a ansiedade é primária ou secundária, mas encontra se presente em 80% dos casos de obesidade ou excesso de peso. O estado depressivo, em pessoas geneticamente predispostas, provoca o aumento de peso, a ansiedade aumenta a "fome psíquica", onde o alimento é utilizado para diminuir a tensão. O excesso de proibições induz a frustrações e a comportamentos de oposição e de compensação. Está aberto o caminho para a compulsão alimentar, desencadeada por ansiedade e privação.
Normalmente, quem faz dietas restritivas não têm vida social, desaparecendo outras fontes importantes de gratificação. Mais frustração, mais ansiedade e...mais comida que deixa de ser UM prazer para se tornar O PRAZER!

segunda-feira, 3 de maio de 2010

Maio: mês do coração



A Fundação Portuguesa de Cardiologia elege, todos os anos, o mês de Maio como o mês do Coração, tendo este ano convidado a APN para sua parceira no desenvolvimento de diversas actividades com o mote “Alimentação Mediterrânica”.
Esteja atento!

A FPC destina o mês de Maio ao desenvolvimento de diversas actividades e iniciativas com um intuito de alertar a população para um estilo de vida mais saudável.

Da parceria da APN com a FPC irão ser encetadas diversas actividades de comemoração com o tema base de “Alimentação Mediterrânica”, pelo que a comunidade ficará a conhecer melhor os benefícios deste tipo de alimentação para a sua saúde.

Para mais informações sobre o agendamento deste mês consulte: http://www.fpcardiologia.pt


Ocorreu um erro neste dispositivo