segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Um dia de folga

Será possível emagrecer sem abdicar de bolos, batatas fritas, vinho e chocolates? Há quem defenda que sim. Com seis dias de controlo e 24 horas de prazer.
Será que o método de comer tudo apenas num dia por semana faz ou não sentido?

Se pensarmos na hormona leptina, que regula o apetite, há uma razão científica para que a dieta do dia de folga resulte mesmo. Ao fim de cinco dias de uma dieta de calorias controladas, o nosso corpo começa a suprimir a produção de leptina. Assim, o metabolismo fica mais lento dificultando o emagrecimento. Ao se introduzir no plano alimentar um dia em que se pode comer de tudo, garante-se que os níveis da hormona permaneçam altos, o que facilita a perda de peso. Os defensores deste plano, como os de todos os outros, defendem a prática de exercício físico.
Em termos psicológicos, esta dieta também tem vantagens: por muito que custe seguir o plano alimentar sabe-se que haverá um dia “normal”. Em regimes mais prolongados, pode ser fundamental para não haver desistências. Se olharmos à nossa volta, percebemos que, no fundo, esta é a dieta não oficial de muitas mulheres.
É uma excelente forma de conseguir fazer uma alimentação saudável durante quase toda a semana, mas que deixa espaço para aqueles indispensáveis pecados sem os quais se torna mais difícil viver. Ao ser mais permissiva, esta dieta evita obsessões com aquilo que não se pode ter, evitando também sentimentos de culpa que podem deitar tudo a perder. Mas como os excessos estão contidos num só dia, não ameaçam a perda de peso que acontece nos outros seis dias.
Quem segue a dieta diz que quando chega o dia da batota, como sabem que têm o dia inteiro para comer o que quiserem, não sentem necessidade de se empanturrar, e ao comer lentamente para saborear cada garfada do alimento desejado, acabam por comer menos. Referem também que no dia seguinte o organismo “pede” comida saudável, voltando para a dieta sem nenhum problema.

Embora tudo seja possível, será melhor seguir certos conselhos:
· Comprar apenas o que se vai comer nesse dia. Não será agradável ter os alimentos favoritos em casa e não lhes poder tocar nos outros seis dias.
· Se no dia de folga fizer as refeições em casa, congelar ou dar a alguém a comida que sobrar.
· Pode se comer o que quiser, mas é necessário impor limites: 4 embalagens de Haagen-DAz e dois litros de Coca-cola estão fora de questão.

Sem comentários:

Ocorreu um erro neste dispositivo