quarta-feira, 22 de abril de 2009

Fast-food pode não ser junk-food

Todos os dias temos que nos alimentar e vivemos com a preocupação de o fazer o melhor possível. Os actuais ritmos de vida deixam pouco espaço para refeições saudáveis. Mas comer melhor será assim tão complicado?A alimentação de tipo Fast-food terá culpas no que respeita à difusão de hábitos alimentares pouco saudáveis? É claro que sim! No senso comum, falar em fast-food é dizer excesso de carne, molhos gordos, batatas fritas e refrigerantes sem qualquer interesse nutricional. Mas, se começou por ser este o padrão dominante, a situação pode lentamente sofrer alterações, sobretudo por pressão dos consumidores e de um propósito de exorcizar o fantasma da obesidade. Actualmente, fast-food pode não ser equivalente a junk-food.
Se, por razões de trabalho ou conveniência, tivermos de recorrer a estabelecimentos de comida rápida, o importante é que se façam as melhores as escolhas.
1. Começar a refeição com sopa de legumes.
2. Acompanhar a refeição com uma salada.
3. Preferir sandes de pão escuro ou integral, sem maionese.
4. Pedir para servir os molhos à parte e moderar o seu consumo.
5. Preferir pizzas vegetarianas. Pedir para reduzirem a quantidade de queijo.
6. Evitar tartes, folhados, quiches e empadas.
7. Evitar as batatas fritas.
8. Beber água, e não refrigerentes.

Coma rápido e bem!

Sem comentários:

Ocorreu um erro neste dispositivo